A vida voa!
Vanguart – Meu Sol
Copyright© Warner/Chappell Music

“Tenho sonhos adolescentes, mas as costas doem”, já dizia a Sandy. Pois é, essa semana eu completei 30 anos e a frase que eu mais ouço é “Nossa, não parece! Parece que você tem 20 e tantos”.

Confesso, olho no espelho e tenho o mesmo pensamento, mas o que também me perturba a mente é: Meu Deus, eu cheguei nos 30!

E sobre essa reflexão que circulou nos meus pensamentos a semana toda, eu concluí que só tenho gratidão de onde estou nesse momento. Tanto no meu profissional, quanto na minha vida pessoal. De fato, ainda tenho sonhos adolescentes, ainda quero fazer a viagem dos meus sonhos, ainda quero voar longe. Os 30 anos não significa que tudo isso acabou, pelo ao contrário, significa que eu tenho mais maturidade para realizar tudo aquilo que eu sonhei quando tinha 16.

No dia do meu aniversário eu tive que ouvir “Você chegou na meia idade”. Meia idade do que? Quantos anos tem uma vida? Ninguém sabe. Então como alguém pode estipular um período para cada um? Eu sei, era uma brincadeira, mas aí quando você está ficando “velho”, você passa a refletir sobre tudo, é até bom, significa que você evoluiu e consegue enxergar os pontos positivos e negativos da vida.

Alguém me perguntou se eu queria voltar aos meus 17. Não! Eu era tão imatura, tão sem nexo do que era a vida de verdade. Aproveitei a adolescência? Sim, sem dúvidas, mas não voltaria. Hoje eu sei que sempre estive no caminho certo, que apesar de todas as aventuras joviais, eu tinha no fundo o sentimento do que eu queria ser quando chegasse nessa idade.

Não entendo essa cobrança da sociedade de que você tem que ter a vida perfeita quando chega aos 30 anos, com filhos, casada, com casa, carro, ser bem sucedida profissionalmente… Não, gente! Cada um vive da maneira que tem que viver, afinal ninguém é igual. Eu não quero casar (ainda), eu não quero ter filhos (pode ser que eu mude de ideia), mas não significa que a minha colega de trabalho, por exemplo, não queira tudo isso. E por que eu vou cobrar isso de alguém? Afinal, eu vivo a minha vida ou a do outro?

Falei, a “velhice” deixa a gente reflexivo haha. Mas ok, eu cheguei nos 30.

Se eu fosse dar um conselho para quem ainda está na casa dos 20, seria: aproveite, estude, planeje, realize, corra atrás dos seus sonhos! O tempo passa rápido demais, porém, não significa que você não possa realizar seus objetivos depois, mas é que os 20 e tantos é uma época muito gostosa de se aventurar por aí.

E por último, por que a gente complica a vida? Ela pode ser tão leve!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.