Valentim e a falta de planejamento do Athletico

Por Pierre Andrade

Alberto Valentim não tem capacidade para ser treinador do Furacão. Isso é inegável. Os números falam por si só. Foram 28 jogos no comando do rubro-negro. Oito vitórias, oito empates e 12 derrotas depois, o treinador foi desligado. Retrospecto que demonstra a falta de capacidade para dirigir o Athletico. Mas isso não era novidade. Desde do ano passado, era evidente que Valentim não conseguia extrair o máximo do elenco. Não à toa, a torcida já o criticava e pedia a saída do treinador.

O problema foi o momento em que ele foi mandado embora. Já na primeira rodada da principal competição nacional, o Athletico opta por desligar o treinador. A incapacidade tática, a apatia à beira do campo e os erros nas substituições eram evidentes. Por que, então, não demitir o treinador antes do brasileirão começar?

Escolher um treinador antes da Série A ter início, daria tempo para o comandante implementar o estilo de jogo dele, conhecer o elenco e corrigir carências. Problemas que o novo técnico terá que corrigir ao longo da competição. Sem tempo adequado para treinar, e em um ano que o Athletico têm calendário cheio.

Mesmo que o substituto seja um nome que já trabalha na comissão técnica – Lucho González? – o técnico escolhido irá optar por algumas mudanças táticas e dentro do vestiário.

Tão óbvio quanto o justo desligamento do Alberto Valentim, é o erro da diretoria do Furacão em demorar para realizar a troca. Podia ter sido antes. Podia ter tido planejamento. Ruim para o Furacão. Já começa o campeonato atrás dos adversários.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.