Inter vence no tempo normal, mas é eliminado pelo Boca Juniors nos pênaltis

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) O Inter fez o resultado que precisava nos 90 minutos. Na noite desta quarta (9), o time gaúcho venceu o Boca Juniors por 1 a 0, gol contra de Fabra, na Bombonera, e levou a decisão da vaga nas quartas de final da Libertadores para os pênaltis. Nas cobranças, os argentinos […]

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS)

O Inter fez o resultado que precisava nos 90 minutos. Na noite desta quarta (9), o time gaúcho venceu o Boca Juniors por 1 a 0, gol contra de Fabra, na Bombonera, e levou a decisão da vaga nas quartas de final da Libertadores para os pênaltis.

Nas cobranças, os argentinos venceram por 5 a 4. O adversário nas quartas de final será o Racing, que eliminou o Flamengo. O jogo de ida está previamente marcado para a próxima quarta-feira (16).
O adversário nas quartas de final será o Racing, que eliminou o Flamengo. O jogo de ida está previamente marcado para a próxima quarta (16).

O Inter encara o Botafogo, no sábado (12), pelo Brasileiro. O Boca Juniors joga no mesmo dia, contra o Arsenal Sarandí, pelo Argentino.

NOS PÊNALTIS
Tévez bateu e marcou. Rodinei empatou para o Inter. Cardona bateu e Marcelo Lomba defendeu. Edenilson colocou o Inter em vantagem. Salvio igualou novamente para o Boca Juniors e Rodrigo Lindoso desperdiçou.
Fabra fez os argentinos pularem na frente, mas Yuri Alberto igualou novamente. Izquierdoz marcou para o Boca obrigando o Inter a marcar. Mas Leandro Fernández empatou novamente. Na série alternada, Jara abriu marcando para o Boca e Peglow falhou.

FOI BEM: PATRICK
Foi Patrick quem mais criou pelo Inter. O meio-campista atuou aberto pela esquerda e venceu a maioria dos duelos com Buffarini.

FOI MAL: FABRA
Fabra não esperava que o cruzamento de Moisés chegasse até ele. Surpreso, não conseguiu evitar que a bola acabasse na rede.

SURPRESA NA ESCALAÇÃO
Moisés foi uma das surpresas na escalação do Inter. Após voltar de lesão ao longo da semana, o lateral esquerdo começou como titular na vaga de Uendel. Sem atuar há quase um mês, foi dele o cruzamento para o gol contra de Fabra.

O JOGO DO BOCA
O Boca Juniors começou o jogo já em vantagem. Por ter vencido o jogo de ida, bastava não sofrer gols para seguir na Libertadores. Por isso, o time de Miguel Ángel Russo optou por “jogar o jogo”.
Ganhou tempo sempre que conseguiu, se defendeu bastante e pouco frequentou o setor ofensivo. Tevez e Villa, armas que complicaram a vida gaúcha no jogo de Porto Alegre, foram bem contidos pela zaga e pouco ameaçaram. Quando saiu atrás, o time argentino tratou de atacar, mas não conseguiu empatar.

O JOGO DO INTER
O Internacional repetiu a formação do empate em 2 a 2 com Atlético-MG. Ao invés de promover o retorno de D’Alessandro e montar a equipe com um meia atrás de dois atacantes, Abel Braga optou por 4-1-4-1, com Praxedes junto a Edenilson e Lindoso pelo centro, Marcos Guilherme na direita e Patrick na esquerda.

E foi exatamente do flanco canhoto que surgiram as principais chances. Galhardo chegou a acertar a trave no primeiro tempo. Outras três chances, ao menos, foram desperdiçadas até o gol contra de Fabra, que abriu o placar, no início da segunda etapa. O Inter ainda criou outras oportunidades, mas não conseguiu aumentar o placar.

PRÊMIO
O classificado às quartas de final embolsa prêmio de 1,5 milhão de dólares (R$ 7,7 milhões na cotação atual).

Nossos Programas