Cotidiano
Com prioridade aos mais vulneráveis, Estado reforça apoio aos municípios na luta contra o frio
Por Agência Estadual de Notícias

O Governo do Estado e a Associação dos Municípios do Paraná (AMP) acertaram nesta terça-feira (27) as diretrizes de atuação preventiva para amenizar os efeitos sobre a população da massa de ar polar prevista para chegar à Região Sul do País na madrugada desta quarta-feira (28). Entre as ações, ficou estabelecida que uma nota técnica, em conjunto, será emitida até o fim do dia para orientar as prefeituras.

O encontro, realizado de maneira virtual, contou com a participação do secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva; do presidente da AMP e prefeito de Jesuítas, Júnior Weiller; além de representantes das 19 associações regionais de municípios do Paraná e 29 prefeitos.

 

O Secretário Chefe da Casa Civil destacou que o Paraná reforçou os canais de atendimento e diálogo com os municípios para responder prontamente às necessidades de cada região do Estado.

O trabalho envolverá várias secretarias e órgãos da administração pública, sob coordenação da Defesa Civil do Paraná. O plano de ação foi dividido em nove tópicos: monitoramento e acompanhamento; atendimento à população vulnerável; ajuda humanitária; saúde; agricultura; animais; prevenção de incêndios; comunicação social e atendimento a comunidades tradicionais.

“Estamos atentos. Informações erradas levam pânico à população. Teremos sim momentos mais frios, com geada, mas nada de temperaturas extremas. O Estado está alerta e o acompanhamento da Defesa Civil é diário”, afirmou o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Fernando Schunig.

A maior preocupação, alertou ele, é para com a população mais vulnerável, como moradores de rua, ribeirinhas, quilombolas e indígenas, entre outros. Para isso, o Estado prevê o acionamento de estruturas de abrigos previstas nos Planos de Contingência Municipais; distribuição de alimentação quente; reforço na atuação das secretarias municipais de assistência social; e mobilização de igrejas e grupos de voluntários para atendimento aos moradores de rua.

“O monitoramento será forte para que a população não seja pega de surpresa”, disse o coordenador.

Segundo o presidente da AMP, Júnior Weiller, essa reunião do governo com as associações revela um grande nível de sensibilidade do Estado para amenizar o sofrimento dos paranaenses. “As prefeituras estão todas engajadas”, acrescentou.

TEMPERATURA – De acordo com o Simepar (Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná), a onda seguirá o padrão local, caracterizado por um clima frio e seco e temperaturas mínimas variando entre -1 °C e -5 °C.

Apenas nos pontos de maior altitude, como no alto de montanhas, o frio pode ser mais intenso.

O serviço social autônomo, vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo (Sedest), aponta que o frio será entre os dias 28 e 30 de julho, especialmente nas regiões Sudoeste, Sul, Central e Campos Gerais.

Já na Região Metropolitana de Curitiba, Norte e Oeste há previsão de valores oscilando entre 0°C e -3°C. No Litoral deve chegar a 5ºC. Nesse período há indicativo para ocorrência de geadas fortes e generalizadas em todo o Paraná.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.