Operação Rio: Polícia Militar desarticula grupo criminoso no litoral do Paraná

A Operação Rio desarticulou um grupo criminoso responsável pela venda de drogas em Paranaguá e demais municípios do Litoral paranaense

A Polícia Militar do Paraná e o Batalhão de Operações Especiais (Bope) deflagaram na manhã desta segunda-feira (5) a Operação Rio II que cumpriu mandados de busca, apreensão e prisão contra um grupo criminoso envolvido com tráfico de drogas, homicídios e outros crimes no Litoral do Estado.

Na ação, oito pessoas foram presas,  três armas de fogo, R$ 620,00 e 55 gramas de drogas foram apreendidos.

“Teremos outras fases dessa operação. Nosso objetivo principal é diminuir ao máximo os homicídios na região do Litoral do Estado e, com isso, coibir o tráfico de drogas. Foi um trabalho exitoso por parte do Serviço de Inteligência da PM, do Ministério Público, que acompanhou in loco as ações, assim como o subcomandante-geral que também participou da operação”, explicou o comandante-geral da PM, coronel Hudson Leôncio Teixeira.

A primeira fase  da operação ocorreu em novembro do ano passado, quando a PM cumpriu quatro mandados de prisão contra líderes do tráfico no município de Paranaguá.

A  segunda fase, deflagrada hoje, cumpriu  14 mandados de prisão e 17 de busca e apreensão, em Paranaguá, Matinhos, Pontal do  Paraná e Piraquara, na região metropolitana de Curitiba.

Confronto

Durante o cumprimento dos mandados em Matinhos, dois homens, de 22 e 28 anos,  morreram em confronto com a equipe do BOPE.  Na abordagem,  duas pistolas foram apreendidas.

Os dois indivíduos residiam bairro Bockman e da Vila Alboitt, em Paranaguá, e possuía  mandados de prisão em aberto e passagens pela polícia.

Em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, um suspeito de 23 anos reagiu a abordagem policial e, no confronto, entrou em óbito, sendo apreendido um revólver. Ele tinha passagens por homicídio qualificado, roubo e porte ilegal de arma de fogo.

Investigação

De acordo com as investigações realizadas pelo Centro de Inteligência da PM , os alvos da operação praticaram os homicídios por desavenças e dívidas relacionadas à atividade do tráfico de entorpecentes. “Os suspeitos neutralizavam indivíduos de outras facções criminosas. Todas essas informações já foram inseridas nos autos e serão encaminhadas ao Poder Judiciário”, disse o coronel Hudson.

A operação Rio II teve apoio de efetivos do 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM) e do 6º Comando Regional da PM (6º CRPM), para que o Serviço de Inteligência conseguisse maior efetividade nas ações. Além disso, a PM contou com a parceria do Ministério Público do Paraná, da Polícia Civil e do Departamento Penitenciário do Estado.

*Com informações da Polícia Militar

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.