Faleceu Luiz Antônio Leprevost, o príncipe dos curitibanos humildes

No final da noite de ontem, sexta feira, 09 de abril de 2021, com seu filho Luiz Felipe Leprevost, grande poeta curitibano, acariciando sua cabeça na UTI do hospital Nossa Senhora das Graças, faleceu Luiz Antônio Leprevost.

Homem de caráter firme, honestíssimo, trabalhador e muito humano, deixa viúva Jussara Abrão Leprevost, o grande amor da sua vida. Advogado, empreendedor, ex diretor do Banestado, da Telepar e da Copel; era respeitado por sua austeridade e querido pela solidariedade que sempre devotou aos mais humildes. Atualmente, era vice presidente da Associação Comercial do Paraná e membro atuante do movimento Pró Paraná.

Tinha 69 anos de idade. Era pai de 4 filhos: Ney Leprevost Neto, deputado federal e secretário de Justiça, Família e Trabalho do Estado do Paraná; João Guilherme Leprevost, empresário ; Luiz Felipe Leprevost, escritor e poeta; e Alexandre Leprevost, sócio da rede Temaki de restaurantes, vereador e 1º vice presidente da Câmara Municipal de Curitiba.

Deixa exemplos maravilhosos aos seus 6 netos: João Pedro, Guilherme, Enrico, Gabriela, Giovana e Pedro. Esta semana, na Boca Maldita, os engraxates contavam a um amigo da família que estavam fazendo correntes de orações por Leprevost. “Ele é um paizão para nós. Ajuda muito os pobres”, disse um deles.

Luiz Antônio, na vida adulta, nunca foi um homem rico. Era muito dedicado ao trabalho. Alternou momentos de altos e baixos na vida profissional. Mas nunca deixou faltar nada para sua família e sempre teve a mão aberta para ajudar os mais necessitados.

Era de família tradicional de Curitiba, filho do ex procurador geral de Justiça e ex prefeito da capital no governo JK, dr. Ney Leprevost e de Stella Surugi Leprevost; tinha orgulho de seus avós e, em especial, do seu bisavô, o capitão Leprevost, ex padre vindo da França que morreu como herói na revolução Federalista.

Também gostava muito da cultura libanesa e italiana de seus outros antepassados. Seu melhor amigo, era seu sogro João Abrão, de 97 anos de idade. Deixa uma legião de amigos. Era querido desde o bairro Santa Felicidade, onde morava, até o Clube Curitibano que frequentava. Muito espiritualizado, era católico e simpático a prática Kardecista da caridade.

Faleceu no mesmo dia em que o príncipe Philip e que o Papa Constantino, o primeiro imperador romano a dar liberdade ao cristianismo. Poucos homens na face da terra exerceram tão fielmente quanto Luiz Antônio Leprevost a prática de amor ao próximo ensinada por Jesus Cristo.

Viveu de 1951 e 2021.

Sua passagem para a vida eterna, onde irá receber a alegria infinita proporcionada aos filhos de Deus, não deve ser causa de choro e nem de tristeza, mas de aplausos e gratidão pelos exemplos que deixa. Certamente não será exagero dizer que Luiz Antônio Leprevost era um “príncipe dos curitibanos humildes”.

(Serviço: Devido a pandemia, o velório será restrito somente a família. Pedimos aos amigos que rezem 1 Pai Nosso e 3 Ave Marias pela alma de Luiz Antônio Leprevost. E que eventuais envios de coroas de flores, sejam substituídos por doações ao hospital onco pediátrico Erastinho.)

 

Texto de Rodrigo França, jornalista e amigo da família

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.